7- Laringe

Aline Roberta Xavier da Silva1; José Samuel de Farias França2; Karinna Veríssimo Meira Taveira3; Thainá Ruth França de Farias1

1 acadêmica em Fonoaudiologia pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN);

2 acadêmico em Odontologia pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN);

3 docente associada do Departamento de Morfologia da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN)


A laringe é um órgão ímpar, tubular, composto por cartilagens, músculos, membrana e ligamentos, localizado no plano mediano e anterior do pescoço na altura das vértebras C3 e C7, inferior ao osso hioide. Ele se relaciona com o sistema respiratório permitindo a passagem do ar da faringe para a traqueia, sendo essencial para a fonação. Além disso, ele protege as vias aéreas inferiores ao fechar o ádito da laringe no momento da deglutição.

O que fazem as cartilagens da laringe?

As cartilagens são as estruturas responsáveis por dar a forma, proteger e sustentar a laringe. Elas são um grupo de 3 cartilagens ímpares (tireoide, cricóidea e epiglote) e 4 pares de cartilagens (aritenóidea, corniculada, cuneiforme e tritícea).

Fonte: Netter (2010)
Fonte: Netter (2010)
Fonte: Netter (2010)

Quais são as cartilagens ímpares?

Tireoide: é a maior e mais anterior cartilagem da laringe e funciona como um escudo protetor preservando todas as demais estruturas daquela região. Ele possui duas lâminas (direita e esquerda), retangulares e em formato de V e o encontro delas forma a proeminência laríngea (“Pomo de Adão”), como podemos observar na imagem da vista anterior da laringe, logo abaixo. Essa proeminência é mais evidente nos homens por formar um ângulo menor em relação às mulheres, um dos fatores que os faz ter uma voz mais grave, ao causar alteração no tamanho das pregas vocais. Na cartilagem tireoide também podemos observar quatro cornos que se localizam lateralmente, sendo dois superiores e dois inferiores. Também conseguimos observar uma elevação em cada lâmina que caracteriza a linha oblíqua, elas funcionam como ponto de inserção para os m.m. inferiores da faringe, esternotireóideo e tireo-hióideo.

Cricoide: é a cartilagem mais inferior e funciona como uma base de sustentação para a laringe, se articulando superiormente com as cartilagens tireoide e aritenoides, e inferiormente com o primeiro anel traqueal pelo ligamento cricotraqueal. Possui um arco, mais anterior, e lâmina, situado posteriormente, região onde se localiza dois pares de cartilagem, as aritenoides.

Epiglote: Lembra na forma, uma folha peciolada. Está posteriormente ao corpo do osso hioide, à raiz da língua e à cartilagem tireoide e anteriormente ao ádito da laringe, e sua extremidade inferior alongada, liga-se à cartilagem tireoide. É a cartilagem ímpar mais móvel da laringe e sua função primordial é proteger as vias aéreas inferiores com seu movimento de abaixar e fechar a entrada da laringe permitindo que o bolo alimentar deslize para a laringofaringe e esôfago posteriormente.

Quais são as cartilagens pares?

Aritenoides: Se localizam posteriormente, acima da cartilagem cricoide e são consideradas a unidade funcional da laringe permitindo abertura e fechamento da mesma para a passagem do ar, essenciais para fonação e respiração. Ela possui um processo vocal, que dá inserção ao ligamento vocal, e um processo muscular, que é lateral e dá inserção aos mm. tireo-aritenóideo e crico-aritenóideos lateral e posterior. Sua superfície posterior dá inserção ao m. aritenóideo transverso. A superfície lateral dá inserção ao m. vocal e ligamento tireo-aritenóideo e ao ligamento vestibular e tireo-hióideo mediano.

Corniculadas: Têm formato cônico e se localizam no ápice das cartilagens aritenóides, no interior das pregas ari-epiglóticas da mucosa.  É considerada uma cartilagen acessória.

Cuneiformes e tritíceas: Ambas são inconstantes. As corniculadas se encontram nas pregas ari-epiglóticas, acima e anteriores às corniculadas e as trtícias se encontram dispersas nos ligamentos tireohioideo laterais.

Vista anterior da laringe. Fonte: autoria própria

Quais são as articulações laríngeas?

Cricotireóideas: articulações sinoviais esferoides. Através delas os cornos inferiores se articulam com as faces laterais da cartilagem cricóidea. Essas articulações promovem mudança de comprimento das pregas vocais, por meio dos movimentos de rotação e deslizamento da cartilagem tireóidea.

Cricoaritenóidea: são articulações do tipo sinovial selar. Situam-se entre as bases das cartilagens aritenóideas e as faces supero-laterias da lâmina da cartilagem cricóidea. Permitem que as cartilagens aritenóideas se aproximem ou se afastem uma da outra.

Quais músculos estão relacionados à laringe?

Font: Netter (2010)

A laringe possui músculos que são intrínsecos (origem e inserção na laringe) e extrínsecos (apenas uma das inserções na laringe). Os intrínsecos são inervados pelos ramos laríngeo superior e recorrente do nervo vago e recebem nome de acordo com a cartilagem que estão se originando e se inserindo. Eles são divididos em grupos de acordo com a sua função.

Adutor interno ou esfincteriano: são responsáveis pelo fechamento da glote. São eles: cricoaritenoideo lateral, aritenoideo transverso e oblíquo, vocal, tireoaritenoideo e tireoepiglótico.

Adutor externo ou tensor: fecham a glote e tensiona as pregas vocais: m. cricotireoideo.

Abdutor interno ou dilatador: m. cricoaritenoideo posterior (CAP), único responsável pela abertura da glote e considerado músculo da vida, permitindo a passagem do ar para os pulmões.

Músculos que fecham o ádito: m.m. ariepiglótico e aritenoideo oblíquo.

Vista posterior da laringe. Fonte: Autoria própria.

Membranas e ligamentos da laringe

A membrana e os ligamentos são responsáveis por conectarem uma cartilagem à outra. Assim como os músculos, eles também recebem nomes de acordo com a cartilagem que estão se inserindo e se originando, com a diferença que eles também podem se conectar ao osso hioide.

A única membrana da laringe é a tireohiodeia, conectando-se ao osso hioide e a tireoide e sendo maior que todos os ligamentos. Nele podemos encontrar os ligamentos tireohioideos mediano e laterais, nesse último, onde encontramos a cartilagem tritícea.

Espaços na região

No interior da laringe, conseguimos perceber as pregas vestibulares, conhecidas como pregas falsas e as pregas vocais, essas que ficam mais abaixo, que são as pregas verdadeiras. Entre essas pregas, de cada lado, existe um espaço denominado ventrículo da laringe. O espaço entre cada par de pregas é a glote, o que está acima da glote, chama-se espaço vestibular e abaixo das pregas, infraglote.

Vista posterior da laringe com exposição das estruturas internas. Fonte: Autoria própria.

Como ocorre a produção da voz?

A voz é produzida através da passagem de ar pelo interior da laringe, ao tocar nas pregas vocais essas estando aduzidas, ou seja, fechando a glote. Sua amplificação ocorre nas cavidades ressonantes que se localizam posterior a saída do ar pela glote.

Como ocorre a inervação da laringe?

A inervação motora da laringe é feita principalmente pelo nervo laríngeo recorrente mas também ocorre a atuação do nervo laríngeo superior, ambos ramos do nervo vago (X par). O nervo laríngeo recorrente esquerdo faz uma alça em torno do arco da aorta enquanto o nervo laríngeo recorrente direito faz uma alça em torno da artéria subclávia direita. O nervo laríngeo recorrente é responsável principalmente pela inervação dos músculos intrínsecos da laringe, com exceção do músculo cricotireóideo.

O nervo laríngeo superior é um nervo misto que irá emitir dois ramos: um ramo interno (nervo laríngeo interno) e um ramo externo. O seu ramo externo é motor e será responsável pela inervação do músculo cricotireóideo.

O ramo interno do nervo laríngeo superior perfura a membrana tireóidea, acompanhado pela a. laríngea superior e é responsável pela inervação sensitiva da cartilagem epiglote até as pregas vocais da laringe, concedendo também a propriocepção dessa região, sendo assim, também responsável pelo reflexo de tosse. A inervação sensitiva da mucosa laríngea abaixo das pregas vocais é feita pelo nervo laríngeo recorrente.

Fonte: Netter (2010)

Como ocorre a vascularização da laringe?

A irrigação da laringe é feita principalmente pelas aa. laríngeas superior e inferior. A artéria laríngea superior é um ramo da a. tireóidea superior e juntamente com o nervo laríngeo interno penetra na membrana tireo-hioidea para irrigar a região anterior da laringe, a região mucosa e submucosa da laringe. A a. laríngea inferior é ramo da a. tireóidea inferior e acompanha o nervo laríngeo recorrente, é responsável pela irrigação da região posterior da laringe, dos músculos encontrados nessa região e também da região mucosa e submucosa, pode haver também a anastomose entre as aa. laríngeas superior e inferior.

A drenagem da laringe é feita pelas veias laríngeas superiores e inferiores, as quais são ramos das veias tireóideas superiores e inferiores, respectivamente, as quais acompanham as artérias em seus trajetos e drenam o sangue venoso para a veia jugular interna.

A drenagem linfática da laringe é feita pelos linfonodos cervicais profundos.


Referências:

NETTER, Frank Henry. Atlas de anatomia humana. 6. ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2015.

TEIXEIRA, L.M.S.; REHER, P.; REHER, V.G.S. Anatomia Aplicada a Odontologia.  2ª. Ed. Guanabara Koogan, Rio de Janeiro, 2008.

MOORE , K. L.; DALLEY, A. F. Anatomia orientada para a clínica, 5º Ed. – Rio de Janeiro, Guanabara Koogan, 2006.

SOUZA, Lourdes Bernadete Rocha de. Atuação fonoaudiológica em voz , 1ª Ed. Revinter, 2010.

Anúncios