Minuto anatomoclínico #4: Lesão do tendão patelar

Weslley Robson Marques Silva de Freitas & Mateus Antonio Albuquerque Costa

Antes de mais nada, a terminologia anatômica indica o uso do termo “ligamento patelar”. Entretanto, o nome “tendão patelar” é amplamente disseminado clinicamente. Assim, como o presente texto pretendeu explorar os aspectos clínicos da tendinopatia patelar, optamos por manter a nomenclatura clínica da estrutura. Para maiores informações, favor pesquisar sobre as diferenças estrturais de tendões e ligamentos. 

O tendão patelar é um dos componentes do complexo articular do joelho, ligando a patela à tíbia e, juntamente com o quadríceps e o tendão quadricipital, formam o conjunto responsável pela extensão do joelho. Porém, vale ressaltar que essa estrutura é comumente afetada pelas famigeradas tendinopatias, uma das causas mais comuns de dores no joelho causadas por movimentos repetitivos e sobrecargas. Geralmente essa condição está associada à fraqueza do músculo quadríceps, sobrecarga transferida ao tendão patelar pode tornar o tecido mais espesso e afetar o peri-tendão (tecido responsável pela vascularização). A progressão dessa condição leva à degeneração do tecido. Além disso, portadores de doenças crônicas e autoimunes tornam-se mais vulneráveis, pois apresentam tendões patelares mais “enfraquecidos”. No entanto, atletas de distintas modalidades como futebol, vôlei e atletismo, ou mesmo indivíduos já submetidos à alguma cirurgia no complexo articular do joelho, também podem estar mais suscetíveis às lesões, como foi o caso do Ronaldo Fenômeno em 2000.⁣ Veja mais detalhessobre o tendão e a lesão do jogador abaixo:


Em suma, a tendinopatia patelar ou “joelho de saltador”, é consequência de microtraumas repetitivos no tendão patelar, os quais levam a alterações degenerativas. Visto que a patela atua como um ponto de apoio para aumentar o movimento da alavanca no momento da contração do quadríceps, fazendo com que a eficiência do mecanismo extensor seja elevado a 1,5 vezes por causa da presença da patela. Dito isso, a ruptura de um tendão pode caracterizar o estágio final de uma tendinopatia pré-existente.

REFERÊNCIAS

LEE, Dennis; STINNER, Daniel; MIR, Hassan. Quadriceps and patellar tendon ruptures. The journal of knee surgery, v. 26, n. 05, p. 301-308, 2013.⁣

FUKUDA, T. Tendão Patelar. Instituto Trata, 2020. Disponível em: https://www.institutotrata.com.br/tendao-patelar/ . Acesso em: 03 set. 2020.⁣

MALLIARAS, Peter et al. Patellar tendinopathy: clinical diagnosis, load management, and advice for challenging case presentations. journal of orthopaedic & sports. 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s