Por que o glúteo máximo dos humanos é diferente dos demais primatas?

Uma das características básicas do ser humano é o bipedalismo e várias estruturas musculoesqueléticas reorganizaram-se durante a evolução para lidar com a postura ereta e facilitar a locomoção.

O glúteo máximo, por exemplo, é bastante distinto do músculo de primatas não-humanos. Seu aspecto anatômico difere dos músculos de grandes macacos, como orangotangos. Nestes animais existem dois músculos distintos: o glúteo máximo isquiofemoral e o glúteo máximo próprio, enquanto os humanos apresentam apenas um glúteo máximo (próprio) bastante largo, com uma típica forma quadrilátera e uma grande expansão em sentido cranial. Para tanto, origina-se de amplas inserções como linha glútea posterior, crista ilíaca, face gluteal que recobre o músculo glúteo médio, superfície pósteroinferior do sacro, parte súperolateral do cóccix e ligamento sacrotuberoso. A partir daí, o músculo une-se e alarga-se, formando espessos fascículos musculares. As fibras de origem mais cranial inserem-se inferiormente no trato iliotibial, enquanto que as demais inserem-se na tuberosidade glútea do fêmur. Se comparado ao chimpanzé, o glúteo máximo humano é 1,6 vezes mais largo e compreende 18,3% da massa do quadril (contra 11-13% em primatas).

UL Lumbar Spine Hip and Knee 3
Glúteo máximo. Retirado de https://sites.google.com/a/umich.edu/bluelink/resources/bluelinks/unlabeled-lumbar-spine-hip-and-knee-images em 01/10/2018

A principal função do músculo é a extensão do quadril, mas também contribui  com a rotação lateral do quadril. Sugeriu-se que o glúteo máximo atuaria principalmente para efetuar a locomoção ou para manter a postura ereta, mas dados eletromiográficos demonstraram principalmente ativação durante atividades como escaladas, corridas ou na estabilização do tronco contra a flexão.

Em um estudo recente, Bartlett et al (2014) avaliaram a atividade muscular do glúteo máximo em uma série de atividades como caminhada, corrida, escalada e sprint.  Os autores demonstraram que a maior atividade se encontrava no sprint, mas também teve destaque na corrida. Foi demonstrado uma característica multifuncional do músculo tanto em movimentos rápidos e potentes, assim como em atividades de repetição e resistência como na corrida. Assim, a hipertrofia do músculo, típica em humanos, poderia ser o resultado de atividades que ocorrem em um amplo espectro de velocidades. A própria estabilização do tronco mediada pelo glúteo máximo proporciona uma plataforma ótima para movimentos dos membros superiores. Acredita-se que todos esses movimentos desenvolveram-se para facilitar a busca pela comida, principalmente a partir da caça.

Dr Bento J Abreu

Editor do site, professor, pesquisador e interessado em assuntos atuais

Referências
Bartlett JL, Sumner B, Ellis RG, Kram R. Activity and functions of the human gluteal muscles in walking, running, sprinting, and climbing. Am J Phys Anthropol. 2014 Jan;153(1):124-31
Lieberman DE, Raichlen DA, Pontzer H, Bramble DM, Cutright-Smith E. The human gluteus maximus and its role in running. J Exp Biol. 2006 Jun;209(Pt 11):2143-55.
Niinimäki S, Härkönen L, Nikander R, Abe S, Knüsel C, Sievänen H. The cross-sectional area of the gluteus maximus muscle varies according to habitual exercise loading: Implications for activity-related and evolutionary studies. Homo. 2016 Apr;67(2):125-37
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s