Minuto Anatômico #35: Núcleos da base

Mateus Antônio Albuquerque Costa

Os núcleos da base eram anteriormente reconhecidos como “gânglios da base” por conta da tradução literal do termo inglês “basal ganglia”. Entretanto, os gânglios são estruturas localizadas no Sistema Nervoso Periférico (SNP). Assim, o termo mais adequado para as estruturas descritas nesta publicação é “núcleos da base”. ⁣Estas podem ser divididas de acordo com a sua funcionalidade, em núcleos de entrada, núcleos de saída e núcleos intrínsecos. ⁣

São estruturas diretamente relacionadas ao controle motor, fazendo com que lesões nestes núcleos resultem em distúrbios de movimento, como a rigidez muscular causada pelo parkinsonismo e as hipercinesias como a doença de Huntington (Coreia), por exemplo.⁣

Existe certa confusão quanto às terminologias utilizadas para a caracterização desses núcleos, como Machado (2014) afirma: “O corpo estriado, também chamado corpo estriado dorsal, é constituído pelo núcleo caudado, putâmen e globo pálido”. Machado também dividiu o corpo estriado em corpo estriado dorsal e corpo estriado ventral, sendo formado pelo núcleo accumbens e o núcleo basal de Meynert. Em Anatomia de Gray (2010) o corpo estriado é definido como uma estrutura que: “[…] consiste no núcleo caudado, no putame e no globo pálido”. Além disso, Anatomia de Gray (2010) também apresenta a divisão do corpo estriado em Neoestriado (núcleo caudado e putame) e Paleoestriado (globo pálido). Já Meneses (2015) uma outra definição: “O corpo estriado ou striatum compreende o núcleo caudado, o putame e o núcleo accumbens”. Ademais, recomendamos uma leitura mais aprofundada nas fontes citadas nas referências para uma compreensão mais abrangente.

Referências⁣

MACHADO.A; HAERTEL, LM. Neuroanatomia funcional. 3º ed. São Paulo: Atheneu, 2014.⁣
MENESES, MS. Neuroanatomia aplicada. 3º ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2015.⁣
SNELL, RS. Neuroanatomia clínica. 7º ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2013.⁣ 
STANDRING, S. Gray’s Anatomia. 40º ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2010.⁣
LANCIEGO, JL; LUQUIN, N; OBESO, JA. Functional Neuroanatomy of the Basal Ganglia. Cold Spring Harb Perspect Med, v. 2, n. 12, 2012.⁣
FAZL, A; FLEISHER, J. Anatomy, Physiology, and Clinical Syndromes of the Basal Ganglia: A Brief Review. Semin Pediatr Neurol, v. 25, p. 2-9, 2018.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s